LAURO CHAMAN E TAMIRES RADATZ CAMPEÕES BRASILEIROS NO DESAFIO CONTRA O CRONÔMETRO

Em Maringá o ciclismo brasileiro de estrada começa a conhecer seus campeões de 2018. Na última quinta-feira (28/06) foi disputado o Contra Relógio Individual, aonde Lauro Chaman confirmou sua boa fase na especialidade e levou o título brasileiro da Elite. No feminino Tamires Radatz  ficou com o ouro; porém quem mostrou um desempenho impressionante, rodando a uma média de 44,547 km/h em um percurso de 7 km, foi a juvenil Cecilia Vieira Lance que conquistou o seu segundo título brasileiro, deixando claro é que uma aposta certeira para o futuro

Tamires Radatz e Lauro Chaman são os campeões brasileiros da Elite no contra relógio individual – foto: Luis Claudio Antunes/CBC

A disputa do Campeonato Brasileiro de Contra Relógio Individual contou com a  participação de 179 ciclistas distribuídos nas categorias Elite, Sub23, Junior, Juvenil e Infantojuvenil . O evento, realizado mais uma vez na cidade de Maringá, foi disputado em um circuito muito duro de 7 km que incluía um trecho com piso irregular que lembrava muito o “sterrato da Strade Bianche

Na categoria Elite, tanto no feminino quanto no masculino tivemos vitórias apertadas com diferenças muito pequenas entre os ciclistas que duelaram pelo ouro e a prata. No feminino a ciclista catarinense Tamires Radatz/Avaí-FME Florianópolis/APGIF, campeã brasileira de CRI da categoria Sub23 em 2016, não se intimidou com adversárias mais experientes e entrou na estrada com muita determinação para cobrir o percurso de 21 Km em 33m10s. Sua vantagem sobre a segunda colocada, a experiente Ana Polegatch foi de apenas 0″932s.

Tamires Radatz – foto: Luis Claudio Antunes/CBC

Na terceira posição, a 03s141 chegou Flavia Oliveira, ciclista radicada nos Estados Unidos e que atualmente tem corrido na Europa. Para chegar à competição Flavia passou por uma peregrinação, foram três dias de viagem sofrendo com vôos  cancelados e a tensão de ao desembarcar no Brasil ver que as suas bicicletas não haviam chegado; foram horas de tensão junto à Delta Airlines que finalmente entregou as bicicletas ainda a tempo de que a ciclista disputasse a competição.

A nova campeã, após a vitória declarou:  “Desde o ano passado venho treinando muito focada nesse brasileiro. O circuito foi muito legal, desafiador. Acredito que ser campeã nacional é o sonho de qualquer atleta. Eu já havia vencido na Sub-23 (2016) mas, agora, com o título na elite fiquei muito feliz e vejo que estou no caminho certo. Dedico essa vitória a todos da minha equipe que fizeram o possível para que eu pudesse chegar a essa vitória”.

Lauro Chaman – foto: Luis Claudio Antunes/CBC

Na Elite masculina, Lauro Chaman/Funvic  que uma semana antes havia conquistado o campeonato paulista da modalidade,  confirmou o seu bom momento desportivo e colocou mais um título em seu currículo ao completar o percurso de 28 km (4 voltas) em 38m06s083, superando a Cristian Egidio da Rosa/São Francisco Saúde-Klabin-Ribeirão Preto por 1s854 e a seu companheiro de equipe Flavio Cardoso por 20s659. Vitória apertada de um ciclista que nos últimos anos vem se destacando tanto nos velódromos quanto na estrada com títulos mundiais no paraciclismo.

André Gohr campeão da Sub23 – foto: Luis Claudio Antunes/CBC

Na Sub-23, Larissa Castelari de Lima com 35m13s907  foi a vencedora , com Ana Paula Casetta/Memorial-Santos Fupes e Leticia Alana, segunda e terceira, respectivamente. “Atualmente estou competindo por uma equipe dos Estados Unidos, e voltar ao Brasil e encontrar uma prova tão seletiva e disputada é muito legal. Fiquei feliz com a vitória e espero voltar ao pódio na prova de resistência”, comentou Larissa.

Na prova masculina da sub23 se repetiu o pódio de equipes que se viu na Elite com a Funvic fazendo o ouro e o bronze e a São Fransico Sáude ficando com a prata. O especialista em provas contra o relógio André Gohr/Funvic-São José dos Campos marcou 39’19″766, ficando com a primeira posição, Leonardo Finkler em segundo lugar e Gabriel Machado em terceiro.

O trecho sem asfalto também foi mais um desafio para os ciclistas – foto: Luis Claudio Antunes/CBC

Nas categorias de base vale destacar o incrível desempenho de  Cecilia Vieira Lance/São Francisco Saúde-Klabin-Ribeirão Preto que no próximo mês completará quinze anos e já tem em seu currículo os títulos de campeã paulista de Estrada e CRI e da Volta do Futuro e que em Maringá conquistou o bicampeonato brasileiro de CRI fazendo o incrível tempo de 9m25s692 com uma média de 44,547 km/h ´para os 7 km do percurso. A segunda colocada, Julia Maria Constantino/Clube Ciclístico Araponguense, ficou a 02m36s413.

Cecilia Vieira Lance bicampeã brasileira da categoria juvenil – foto: Jose Claudio Antunes/CBC

 

No Link você terá acesso a TODOS OS  RESULTADOS DO BRASILEIRO DE CRI

 

 

Deixe um comentário