LEVORIN FALARÁ O FRANCÊS DA MICHELIN

As especulações que circulavam no setor se confirmaram no último 26 de agosto. O comando da fabricante de pneus Levorin muda de mãos e passará para a francesa Michelin. Com isso os franceses se tornarão os maiores fornecedores de pneus para as montadoras sediadas em Manaus. Será que o consumidor de câmaras de ar e de pneus para bicicletas também terá um ganho de qualidade com essa aquisição? O mercado aguarda os novos passos do gigante francês

Michelin conta

Michelin se fortalecerá no mercado mundial das 2 rodas com a aquisição da brasileira Levorin

A última sexta-feira 26/08 trouxe um ponto final às especulações que circulavam no setor sobre qual o futuro da fabricante de pneus para motos e bicicletas Levorin,  empresa familiar,  fundada em 1943 por Hercules Levorin.  Ao longo de meses falou-se de tudo um pouco,  de dificuldades financeiras, passando pela parceria com um grande operador local até a aquisição pelos franceses da Michelin, fato que se confirmou com o comunicado que foi noticiado em todo o mundo.

Com uma nota oficial a gigante do simpático boneco branco, Michelin,  pôs fim aos boatos e confirmou que está adquirindo a fabricante brasileira que atualmente opera com fábricas em Guarulhos/SP e Manaus/AM  e gera 2 mil postos de trabalho e com um faturamento em 2015, segundo os compradores, de R$ 495 milhões – grande parte desses números movimentados pelo mercado de motos.

Os franceses da Michelin, foram estratégicos na aquisição, afinal além de consolidar as suas operações no Brasil, a marca fortalecerá o desenvolvimento global de sua linha de pneus para 2 rodas.   No mundo a Michelin é conhecida por fornecer pneus para motos esportivas e de alta cilindrada – isso sem falar no mundo das competições – com a compra que ainda precisa ser aprovada pelo CADE – Conselho Administrativo de Defesa Econômica – os franceses ganharão uma grande fatia do mercado de motocicletas de pequena cilindrada e com isso fortalecer o desenvolvimento global da sua linha de pneus para  2 rodas.

De forma clara, destina-se a  reforçar a sua posição no setor de “Commuting”  (deslocamentos diários,  por exemplo: casa-trabalho,  casa-estudos) e com isso ampliar a sua linha de produtos, em um mercado que ainda tem muito a crescer. A Michelin está presente em 171 países, empregando  111,700 pessoas, operando em 17 países , com  68 plantas  industrias que juntas,  produziram em 2015,  184 milhões de pneus.

michelin banner

Ainda não há informações sobre quais os rumos para a linha de pneus para bicicletas, mas o peso da marca francesa poderá fazer grande diferença no mercado desde que ajustes em alguns produtos

É preciso entender qual será o seu posicionamento no setor de bicicletas. Ainda é cedo e não há informações sobre os novos rumos. O atual catálogo da Levorin é formado por 8 pneus de mountain bike (Atacama, Colina, Eruption, Excess EX, Karst , Magma, Tecton e Terral) e apenas 2 modelos de 29” e nenhum na medida 27,5 ainda desacreditada no mercado local, 2 pneus para estradeiras Liége e Mitch (aonde só o que carrega o nome da cidade belga pode ser levado em conta para uma roadie),  uma linha de 10 pneus para uso urbano que atendem as mais variadas medidas e as câmaras de ar aonde os franceses terão que fortalecer a sua imagem junto ao público mais exigente para reconquistar consumidores.

A torcida é para que com a chegada dos franceses, a linha de pneus possa ganhar algum incremento tecnológico com a utilização de novos compostos e quem sabe mantendo preços acessíveis – associando a tecnologia que já tem em seu catálogo aos pneus fabricados no Brasil, caso contrário ainda teremos o consumidor que busca melhor performance e durabilidade apostando na diversificação encontrada junto aos pneus importados. Também é preciso saber se os novos donos conseguirão cumprir com os prazos de entregas e também atender a demanda do mercado, pois sabe-se que atualmente o fabricante brasileiro não estava conseguindo atender a totalidade dos pedidos, entregando quantidades inferiores àquelas pedidas por seus distribuidores. O mercado aguarda cada passo do gigante.

 

 

 

 

1 comentário em LEVORIN FALARÁ O FRANCÊS DA MICHELIN

  1. Zizzo Bettega disse:

    O simpático boneco branco atende pelo nome de Bibendum nome extraído das Odes de Horácio “Nunc est bibendum” em tradução livre: “Agora brindemos”. Criado pelo cartunista O’Galop mas recusado por uma cervejaria de Munique, foi adaptado como o famoso homenzinho feito de pneus e câmaras de ar sendo um dos mascotes mais reconhecidos da história.

Deixe uma resposta