MARIANA PAJÓN PODERÁ SE DIVIDIR ENTRE O BMX E O VELÓDROMO

Qualidades técnicas não faltam à bi-campeã olímpica (Londres2012/Rio2016) e hexa-campeã Mundial de BMX Mariana Pajón. Sua arrancada forte e um ritmo constante de pedaladas se traduzem em conquistas.  Incentivada por colegas da seleção colombiana de pista, e já trabalhando a multidisciplinaridade ao utilizar o velódromo para a sua preparação, a Rainha do BMX aceitou o desafio e nesta semana trocou de pista. Foi para velódromo de Medellín e venceu a Velocidade por Equipes Mista em parceria com Fabian Puerta

Mariana Pajón fez sua estreia ao lado de Fábian Puerta, disputando a prova de Velocidade por equipes Mista – foto: Jaime Pérez

 “O BMX é minha paixão e o que me deu muitas alegrias. Continuarei fazendo e nunca o deixarei, mas com  o ciclismo de pista também posso servir ao meu pais e se a Colômbia precisar e mim aqui estarei”. Com essa declaração a jornalistas a super-campeã do BMX colombiano, Mariana Pajón,  sinaliza que poderá atender a uma convocação para representar a Colômbia nos Jogos Bolivarianos que acontecem de 11 a 25 de novembro em Santa Marta .

Mariana fez sua estreia em competições em um velódromo na última quinta-feira (19/10), em um festival de pista realizado em Medellin no velódromo Martin Emilio Cochise Rodriguez e que acontece até o sábado (21/10) com a participação de mais de 60 ciclistas da Colômbia, Argentina,Italia, Chile, Cuba, México, Espanha e França.

Aos 26 anos, a  Rainha do BMX  disputou a prova de Velocidade por Equipes Mista, em dupla  com o melhor velocista da atualidade em seu pais, Fabian Puerta (medalhas de ouro em Pan Americanos de ciclismo no Keirin, velocidade e velocidade por equipes), os dois superaram ao francês Vincent Pelluard e a Diana Garcia, e venceram a final contra a sua compatriota Marta Bayona e Juan Davi Ochoa.

A “Formiga Atômica” como também é carinhosamente apelidada pela torcida colombiana comemora a sua primeira vitória em um velódromo – Foto: AFP

Mariana tinha confirmada a sua participação nas provas de BMX dos jogos Bolivarianos, e  não descarta a sua participação junto à seleção de pista. ”Soube pelo Twitter que estava convocada. Mas não me disseram nada. Não há nada oficial, mas estou adorando tudo isso”, declarou a piloto que disputará provas de pista “quando for possível “. ”Pelos meus tempos posso ser convocada, mas como sempre digo, primeiro o BMX, mas se puder servir o país ali estarei para dar o melhor de mim” concluiu.

O velódromo não é nenhuma novidade para a Pajon que com alguma frequência faz treinamentos específicos na pista, “O BMX não é uma coisa estranha ao velódromo, ambos são de potência, porém no bicicross nos temos obstáculos”, concluiu a campeã.

Seu parceiro na estreia em competições, Fabian Puerta comemorou a vitória na Velocidade Mista – “Foi a melhor corrida da minha vida. Estar ao lado de uma grande corredora como Mariana enche de energia e dá muita confiança. Fizemos um belo espetáculo”, além  disso destacou que Mariana tem uma arrancada muito forte e que com essa qualidade poderia ir além dos Jogos Bolivarianos e tentar, quem sabe, um Mundial de Pista.

Vários integrantes da atual seleção colombiana de pista foram responsáveis pela estreia da campeã do BMX para o velódromo. “Juli (Juliana Gaviria) me disse: venha me substituir, Chispas (Fabián Puerta) me motivou muito. Rubén (Murillo),  Santiago (Ramírez), Marthica (Martha Bayona)… todos eles me trouxeram pra cá, tive vários dias de aprendizado com os melhores e para mim é um orgulho enorme”, comentou Pajón diante de uma convocação para os Jogos Bolivarianos, prova que poderia servir como teste para um futuro conciliando o BMX e outras disputas no velódromo.  “É genial e às vezes é necessário isso, um tempo para respirar, voltar a sentir a motivação e a  adrenalina. Adorei”, comemorou.

O Meentig de Medellín é uma grande festa do ciclismo colombiano e contará também com a participação de estradeiros importantes como Rigoberto Urán, Jarlinson Pantano, Sergio Luis Henao e Carlos Betancur, entre outros ciclistas de destaque no país vizinho, para eles estão programadas a participação nas provas de perseguição e equilíbrio. E para homenagear grandes nomes do ciclismo daquele país, os históricos ciclistas Martin Emilio Cochise Rodríguez, Victor Hugo Peña, Oliverio rincón e Álvaro Mejía disputarão provas promocionais

Deixe uma resposta