MEENTING INTERNACIONAL DE CAIEIRAS: A VITÓRIA DO VOLUNTARIADO

Um ciclismo de pista que vai muito além dos resultados e das disputas. A primeira edição do Meeting Internacional de Pista de Caieiras marca o retorno à utilização do velódromo da cidade em competições e também sinaliza para o meio desportivo que é possível no país realizar um evento desportivo de qualidade e de elevado nível técnico por meio do voluntariado

As duplas argentinas na disputa da Madison – foto: George Panara/MundoBici

No último final de semana (29 e 30 de Julho) a cidade de Caieiras voltou a receber um grande evento de pista. Após a sua abertura em 2003 o velódromo que já recebeu um campeonato pan-americano de pista  em 2006, teve seu centro de excelência  e viveu seus momentos de glória. Porém como tudo neste país vive seus altos e baixos, a pista de concreto de 250 metros chegou a correr perigo  e cogitou-se até sua derrubada. A luta pela sobrevida dessa pista e pela manutenção da pista e das atividades tem um nome- Fernando Wanderley, o Fernando Quase Lenda para quem o conhece no mundo do pedal.

Os gestores da cidade também se deram conta do potencial que há naquele equipamento e resolveram dar seu apoio, várias secretárias sinalizaram de forma positiva para que o velódromo tivesse um evento –  com o secretário de esportes à frente e que já mostrou motivação para trabalhar por uma segunda edição . E se pode servir como exemplo a outros administradores, o secretário pôs a mão na massa de verdade e foi junto com outros voluntários pintar as paredes do velódromo.

Por outro lado,  há um movimento acontecendo no ciclismo de pista, um trabalho de formiguinha que vem sendo realizado por um grupo denominado TCP – Treinadores de Ciclismo de Pista.  Ao  todo,  pouco mais de  10 pessoas, muitas  formadas nos cursos de capacitação do  COB e da CBC  estão trabalhando para o desenvolvimento da modalidade. Até o momento já organizaram dois eventos para jovens e crianças nos velódromos de Indaiatuba e Americana.

Tudo isso para mostrar que um sonho pode sim se tornar realidade. Fernando Quase Lenda mobilizou a cidade, conseguiu doações de tintas para pintura da pista, reformaram-se algumas instalações, chuveiros foram instalados em escolas que serviriam de alojamento para os ciclistas. E a coisa foi tomando proporção, para a competição convidou um velho amigo argentino: Eduardo Trillini que já trabalhou como técnico aqui no Brasil.

Trillini aceitou o convite do amigo – comida e lugar para descansar estavam garantidos, assim pegou sua equipe de 4 ciclistas, convidou mais 6 ciclistas e os argentinos desembarcariam para um rachão em Caieiras.

Um  super  treino estava montado. O que era um rachão foi ganhando volume e se transformou em um evento que teve mais de 140 inscritos.  O Meeting Internacional ganhava corpo e precisava de apoio.  Em tempos de crise é difícil garantir patrocinadores, porém  Fernando Quase Lenda resolveu buscar junto a empresas locais o simples apoio, pediu material para viabilizar a realização do evento:  tintas, refletores, água, enfim empresas que com sua doação garantiram a viabilização do evento. Assim a Sky, a Central Farma, Service Eletrônica, Casa do Construtor e o Cantareira  Norte Shopping com doações de material deram sua contribuição.

O argentino Sebastián Trillini marcou o melhor tempo na perseguição individual – foto: George Panara/MundoBici

Uma competição também precisa de comissários, e estes também entraram no espírito  do voluntariado e sem cobrar diárias ou taxas deram sua contribuição ao esporte. Cada um se deslocou de sua cidade por conta própria com um único objetivo: dar o seu melhor para  a realização do Meeting.

Com estrutura garantida um torneio precisa de ter seus ídolos e os velocistas da seleção brasileira de pista – representando os seus clubes – se fizeram presentes: Hugo Osteti, Flavio Cipriano, Fernando Sikora.   No feminino o favoritismo estava nos pedais de Sumaya Ali dos Santos nas provas de velocidade e Ana Polegatch para a Omnium.

As competições começaram no sábado pela manhã com a disputa da Omnium em seu novo formato que privilegia meio-fundistas.   O argentino Sebastián Trillini, filho do técnico argentino Eduardo Trillini  levou a melhor no scracth, sendo escoltado por seu companheiro de equipe Said Mansur. O melhor brasileiro nessa primeira fase foi Joel Prado.

Cristian Egídio à frente do pelotão na disputa da Omnium – foto: George Panara/MundoBici

Na segunda prova do programa da Onmium é a Tempo Race, uma prova aonde após as quatro voltas iniciais cada passagem pela meta vale um ponto e uma volta sobre o grupo conta 20 pontos. Cristian Egidio, que vinha de vencer o estadual de Pista realizado no mês de maio foi em busca da vitória, conseguir colocar uma volta no grupo e teve que controlar as ações do argentino Cobarrubia que mostrou-se ao ataque pontuando em várias passagens

A eliminação teve como destaque Joel Prado que ficou no mano a mano com Sebastian Trillini e superou o argentino na chegada. A definição da Omnium como sempre é na Prova Por pontos. A disputa foi das mais emocionantes com o argentino Cobarrubia indo à caça de pontos e ainda colocando voltas sobre o grupo e com Cristian Egídio indo ao ataque para garantir a primeira colocação na somatória total e assim conseguindo na atual temporada a sua segunda vitória nesta especialidade

A Omnium Feminina foi dominada por Ana Polegatch que venceu o Scratch , a Tempo Race e a Eliminação. Sua principal adversária foi a argentina Cristina Greve, ciclista da equipe Weber Shimano Ladies  Powerq ue venceu a prova por pontos, mas não conseguiu pontuar o suficiente para colocar em risco o domínio da ciclista da Memorial .

Ana Polegatch, Cristina Greve e Camila Coelho na disputa da Omiun

A programação de domingo do Meeting Internacional  teve como destaque as finais da velocidade e do Keirin. Hugo Osteti foi o vencedor dos dois matches que disputou contra o forte João Vitor da Silva. No Keirin o domínio absoluto foi de Flavio Cipriano que chegou com muita força na finalização;

No feminino Sumaya Ali dos Santos precisou do terceiro match para confirmar seu favoritismo. A ciclista que representa a equipe de Araçatuba venceu a primeira disputa, mas no segundo sprint foi superada por Maria Hendi da equipe Memorial. No encontro final prevaleceu a força de Sumaya.  E a equipe Memorial também foi a vencedora do Keirin com Viviane Marques

Como em todo festival de pista o grande momento é a disputa de Madison,  a disputada em duplas  exige dos ciclistas muita habilidade para a troca de um ciclista e outro (algo parecido ao revezamento no atletismo) e boa capacidade de leitura da prova.  A prova que voltará ao programa olímpico em 2020 agora também passa a ser disputada pelas garotas, assim no velódromo de Caieiras 3 duplas entraram na disputa. A argentina com Cristina Greve e Antonella Leonardi, a Memorial com Ana Polegatch e Thayná Arújo  e como destaque as jovens juniores  Julinana Andressa e Juliana Silva representando Rio Claro.  As argentinas mostraram maior domínio da prova e em 20 km conseguiram abrir uma vantagem de 8 pontos sobre a dupla da memorial.

A Madison para os homens foi disputada em 30km por 5 duplas, sendo 3 argentinas ( 2 duplas da Italomat-Dogo e 1 San Juan) e as brasileiras da Memorial e Rio Claro. A dupla argentina de San Juan,  formada por Hector Lucero e Leonardo Cobarrubia e a dupla da  Italomat-Dogo com Trillini e Said Mansur deu um ritmo alucinante às primeiras voltas. As trocas precisas e muita velocidade, pegaram de surpresa a dupla de Rio Claro formada por Samito Vargas e pelo jovem Murilo Matos (vice-campeão brasileiro da velocidade) , porém com a evolução da prova os argentinos pagaram pelo início em ritmo acelerado e a dupla de Rio Claro aproveitou para crescer e descontar a diferença, nas últimas voltas chegou a colocar em perigo o domínio da dupla de San Juan que venceu a competição.

A dupla argentina da Provincia de San Juan – Hector Lucero e Leonardo Cobarrubia venceu a Madison do Meeting Internacional de Caieiras – foto: George Panara/MundoBici

O encerramento do Meeting se deu com a disputa de uma prova promocional muito comum em encontros de pista aonde a habilidade dos competidores é testada, entra quem quiser na disputa , alinham todos o comissário libera uma volta e a largada só é dada quando o juiz achar conveniente (coisa de alguns poucos minutos) . Vale a habilidade em fazer surplace (aquela paradinha nos pedais com a bicicleta) ,colocar o pé no chão elimina o competidor da disputa.  Nesse rachão de encerramento Flavio Cipriano e a argentina Cristina Greve mostraram o domínio da bicicleta e a explosão para sair e dar uma volta à toda velocidade.

O Meeting Internacional de Pista que começou de forma despretensiosa  e com a ideia de ser um rachão entre bons ciclistas,  foi na verdade uma grande competição que levou a muitas pessoas que trabalharam ou que acompanharam o evento à reflexão sobe as atividades de pista no Brasil.

No papel há no país 8 (oito velódromos) ! Em atividade  estão os de Maringá, Curitiba, Americana, Indaiatuba, Caieiras.  Quanto ao velódromo olímpico do Rio de Janeiro vamos aguardar as notícias, mas ao que parece a pista não foi afetada e os reparos na cobertura devem ser realizados. E ainda, para quem não sabe,  há duas pistas que poderiam passar por reformas e ter retomadas as atividades;  uma delas é o velódromo da USP e o outro o do Parque Fernão Dias em Contagem/MG, para esses é necessária vontade política dos gestores para que se façam os programas de reestruturação.

Vamos imaginar que todo o ano tivéssemos nesses 5 ou 6 velódromos, uma atividade como a que acompanhamos em Caieiras. Dá para imaginar aonde pode-se chegar com o ciclismo de pista?  Com a nova geração há gente trabalhando em escolinhas (mesmo em cidades que não tem velódromo), mas precisamos de especialistas em pista, precisamos levar às crianças para o velódromo. Uma  prova por mês,  além do Campeonato Brasileiro e dos estaduais do Rio, Paraná e São Paulo não seria nenhuma loucura.

Quem sabe não é hora de sentar para mais uma conversa com o Fernando Quase Lenda e com a turma dos Treinadores de Ciclismo de Pista e com os comissários. No último final de semana eles mostraram qual pode ser o caminho. Dá trabalho? Sim, mas a questão não passa por verbas astronômicas ou powerpoints para apresentar em agencias de propaganda.  O voluntariado, a colaboração de todos pode ser um caminho para criar um movimento que sirva para fazer do ciclismo de pista uma grande modalidade em busca de uma medalha olímpica,  parece sonho?

No sábado as disputas foram até o começo da noite – foto: George Panara

 

Sábado 29/07/2017

Omnium Elite Feminino

1- Ana Polegatch/Memorial Santos – 142 pontos

2- Cristina Greve/Argentina – 136 pontos

3- Camina Coelho – 132 pontos

4- Talita da Luz Oliveira/Liga de Ciclismo Campos Gerais – 107 pontos

5- Antonella Leonardi/Argentina – 100 pontos

6- Gabriela Munhoz/Só Pedal – 69 pontos

7 – Francine/Caieiras – 26

Scratch

1- Ana Polegatch/Memorial Santos – 12m47s989

2- Cristina Greve/Argentina –

3- Camina Coelho/Memorial Santos

Tempo Race

1- Ana Polegatch/Memorial Santos – 11m20s301

2- Cristina Greve/Argentina –

3- Camina Coelho/Memorial Santos

Eliminação

1- Ana Polegatch/Memorial Santos – 4m24s232

2- Camila Coelho/Memorial Santos

3- Talita da Luz Oliveira//Liga de Ciclismo Campos Gerais

Prova por Pontos

1- Cristina Greve/Argentina – 26 pontos – 27m17s302

2- Camila Coelho/Memorial Santos – 22 pontos

3- Ana Polegatch/Memorial Santos – 22 pontos

Fernando Sikora e João Victor disputam um match da Velocidade p foto: George Panara/MundoBici

Omnium Elite Masculino

1- Cristian Egidio/San Francisco Saúde-Klabin-Ribeirão Preto – 145 pontos

2- Sebastián Trillini/Italomat Dogo-Argentina – 142  pontos

3- Leonardo Cobarrubia/Pcia. San Juan-Argentina – 141 pontos

4- Fernando Castro/Pcia. San Juan-Argentina- 129 pontos

5- Joel Prado/Memorial –Santos – 120 pontos

6- Said Mansur/Italomat-Dogo-Argentina- 111 pontos

7- Hector Lucero/Pcia. San Juan-Argentina – 94 pontos

8- Edilson Cipriano/ABEC Rio Claro – 81 pontos

9- Vitor Estevinho/Memorial Santos – 34 pontos

10 – Marcos Novello/Green – 32 pontos

11- Rafael/Caieiras – 20 pontos

Scratch – 13m35s48

1- Sebastian Trillini/Italomat-Dogo-Argentina  – 40 pontos

2- Said Mansur/Italomat-Dogo-Argentina – 38 pontos

3- Joel Prado/Memorial-Santos – 36 pontos

Tempo Race – 12m38s55

1- Cristian Egidio/São Francisco Saúde-Ribeirão Preto – 22 pontos

2- Leonardo Cobarrubia/Pcia San Juan-Argentina – 14 pontos

3- Joel Prado/Memorial-Santos – 8 pontos

Eliminação 7m35s03

1- Joel Prado/Memorial-Santos

2- Sebastian Trillini/Italomat-Dogo-Argentina

3- Said Mansur

Prova Por Pontos – 28m00s673

1- Cristian Egidio/ São Francisco Saúde-Ribeirão Preto – 41 pontos

2- Sebastian Trillini/Italomat-Dogo-Argentina – 32 pontos

3- Leonardo Cobarrubia/Pcia. San Juan-Argentina – 47 pontos

Flavio Cipriano conquistou o primeiro lugar na velocidade por equipes e na Keirin

Velocidade por Equipes Elite Masculino

1- Erick Bruno-Fábio Rosseto-Flavio Cipriano – 49s838

2- Leandro Larmelina-Wallassy Nascimento-Matheus Cavassa/Memorial-Santos – 50s530

3- Pablo Perruchaud-Gonzalo Seonane-Renzo Amoroso/Argentina – 50s528

Velocidade por Equipes Elite Feminino

1- Maira Hendi-Viviane Marques/Memorial Santos

2- Sumaya Ali dos Santos-Erica Castex

3- Rosemeire Alves da Silva- Simone

Velocidade por Equipes Junior Masculino 750 m

1- Marcelo Pinheiro-Pedro Bastos-João Gabriel Passos/Memorial Santos – 56s778

Velocidade por Equipes Junior Feminino 500m

1- Juliana Andressa-Juliana Silva/ABEC Rio Claro – 43s100

2- Camila – Catarina Del Giudice/Memorial-Santos – 47s748

 

Prova por pontos Junior Masculino 10 km

1- Juan Gabriel Amarilla/Clube de Ciclismo São José dos Campos – 33 pontos

2- Pedro Bastos/Memorial-Santos – 30 pontos

3- Vinicius da Cruz/Só Pedal-Curitiba – 9 pontos

Prova Por Pontos Elite Feminina 10 km

1- Thayná Araújo/Memorial Santos – 16 pontos

2- Adriana Lobo/Memorial Santos – 12 pontos

3- Talita da Luz de Oliveira/Liga de Ciclismo Campos Gerais – 8 pontos

Prova por Pontos Elite Masculino – 20 km

1- Murilo Matos/ABEC Rio Claro – 23 pontos

2- Fernando Castro/Pcia. San Juan-Argentina – 17 pontos

3- Caio Santana/Memorial-Santos – 14 pontos

Velocidade Individual Junior Feminino – 200m

1- Juliana Silva/ABEC Rio Claro

2- Juliana Andressa/ABEC Rio Claro

3- Catarina/Memorial

Velocidade Individual Junior Masculino 200m

1- Vinicius da Cruz/Só Pedal

2- Marcelo Pinheiro/Memorial-Santos

3- Pedro Bastos/Memorial-Santos

 

Ana Polegatch e Tahyná Araújo disputam a Madison no Meeting Internacional de Caieiras – foto: George Panara/MundoBici

 

Domingo 30/07/2017

Prova por pontos Master – 15 km

1- Alejandro Tapia/Escuela San Miguel-Argentina – 20 pontos

2- João Evangelista/Memorial-Santos – 12 pontos

3- Cleber Lúcio/São Caetano – 8 pontos

Scratch Junior (misto) masculino e Feminino 7,5 km

1- Juan Gabriel Amarilla/Clube de Ciclismo São José dos Campos

2- Leonardo José/Americana

3- Matheus Paulino/ABEC Rio Claro

Categoria Junior disputa a prova mista do Scratch – foto: George Panara/MundoBici

 

Perseguição Individual Elite Masculino – 4000m

1- Sebastián Trillini/Italomat-Dogo-Argentina 5m08s386

2- Elton Pedroso/Memorial Santos – 5m12s749

3- Edilson Cipriano/ABEC Rio Claro – 5h24s119

Perseguição Individual Elite Feminino – 3000m

1- Ana Polegatch/Memorial-Santos – 4m07s635

2- Taíse Bento/Memorial-Santos –  4m12s310

3- Cristina Greve/Argentina – 4m16s176

Hugo Osteti disputa a velocidade – foto: George Panara/MundoBici

Velocidade Individual – Elite Masculino

1- Hugo Osteti/Clube maringaense de Ciclismo

2- João Victor/Green

3- Pablo Perrachaud/Pcia de San Juan-Argentina

4- Flavio Cipriano/Taubaté

Sumaya Ali dos Santos- venceu mais uma vez a prova da Velocidade 200m – foto: George Panara/MundoBici

Velocidade Individual Elite Feminino

1- Sumaya Ali dos Santos/Araçatuba – 2×1

2- Maria Hendi /Memorial-Santos

3- Viviane Marques/Memorial Santos 2×0

4- Rosemeire/Indaiatuba

Keirin  Master Masculino

1- Cleber Lúcio/São Caetano – 14s980

2- Alejandro Tapia/Escuela San Miguel-Argentina

3- Américo Thomas/São Caetano

Keirin – Viviane Marques arrancou da última posição em busca da última posição para vencer no sprint

Keirin Elite Feminino

1- Viviane Marques/Memorial-Santos – 16s00

2- Rosemeire Alves da Silva/Indaiatuba

3- Simone/Americana

Keirin Elite Masculino

1- Flavio Cipriano/Taubaté – 11s749

2- João Vitor/Green-Piracicaba

3- Hugo Osteti/Clube Maringaense de Ciclismo

 

Madison Elite Feminino – 20 km

1- Cristina Greve-Antonella Leonardi/Argentina – 10m43s691 – 20 pontos

2- Ana Polegatch-Thayná Araújo/Memorial –Santos – 12 pontos

3- Juliana Andressa-Juliana Silva/ABEC Rio Claro – -32 pontos

 

Madison Elite Masculino 30 km

1- Hector Lucero-Leonardo Cobarrubia/Pcia de San Juan-Argentina – 30 pontos

2- Murilo Sanots-Samito Vargas/ABEC Rio Claro – 27 pontos

3- Sebastián Trillini-Said Mansur/Italomato-Dogo-Argentina – 26 pontos

Volta Rápida (prova show)

Premiação apenas para o 1º a cruzar a linha

Cristina Greve/Argentina

Flavio Cipriano/Taubaté

Esta equipe ajudou a tornar um sonho em realidade – o segredo: VOLUNTARIADO – foto: George Panara/Mundo Bici

Deixe uma resposta