TOUR DE L’AVENIR – GESBERT DÁ VITÓRIA À FRANÇA. ESPANHOL SOLER É NOVO LÍDER

Mais um dia de orgulho para a seleção francesa , Elie Gesbert   ataca o Col de la Madeleine quando faltavam pouco mais de 70 km da chegada, segue sozinho até Sain-Michel-de Maurienne e consegue a segunda vitória dos bleus no Tour de l’Avenir. Caio Godoy termina em 25º. O catalão Marc Soler é o novo líder com mais de 1 minuto de vantagem

Estagiário da FDJ, Elie Gesbert atacou o Col de la Madaleine, fez fuga com mais de 80 km e vence a 6ª etapa foto: Yefrifotos

Estagiário da FDJ, Elie Gesbert atacou o Col de la Madaleine, fez fuga  de 80 km e vence a 6ª etapa – foto: Yefrifotos

A cada dia nos Alpes  uma nova surpresa para os franceses, se no dia anterior  Guillaume Martin venceu a etapa rainha.  Na 6ª etapa que tinha a dureza da subida de 24,8 km a 6,1% até o Col de la Madeleine(Cat. HC),  mais uma vez seguindo a cartilha de um ataque no pé de uma montanha e forçando o ritmo,  os bleus deixam sua marca e colocam mais um nome na sua lista de futuros campeões.

Desta vez foi Elie Gesbert, o jovem contratado pela FDJ em 1º de agosto que mostrou suas qualidades;  e principalmente demonstrando para todos que estava recuperado da forte queda que o obrigou a abandonar o Tour de l’Ain na 3ª etapa há duas semanas fazendo uma fuga solitária de quase 80 km.

A dura etapa teve o primeiro ataque sendo comandado pelo integrante da equipe do Centro Mundial de Ciclismo, o chileno José Luis Rodriguez que resolveu fazer uma movimentação parecida com aquela que o conduziu a vestir a camisa amarela na 4ª etapa e desta vez acompanhado por seu companheiro de equipe, o panamenho Christofer Jurado. Logo foram alcançados, mas o chileno arriscou mais uma vez e conseguiu rodar solitário por mais algum tempo, com pelotão atrás fazendo um jogo de elástico, antes de iniciar a subida estava novamente reagrupado

Foi logo nos primeiros quilômetros da longa subida ao Madeleine que Elie Gesbert atacou com fúria, o pelotão ficou olhando e com isso o a vantagem foi só crescendo;  quando já passava de 1 minuto os colombianos resolveram se movimentar com Daniel Martínez tentando diminuir a diferença. Atrás as coisas não andavam boas, o colombiano rodava a 50 s do líder; o primeiro pelotão, aonde estava o camisa amarela Gregor Mühlberger e seu companheiro de equipe Benjamin Brkic, os colombianos Sebastian Henao e German Chavez, os russos Aleksey Ribalkin e Ildar Arslanov, o português Ruben Guerreiro, o britânico Alex Peters, o norueguês Sindre Lunke, os italianos Simone Petilli e Giulio Ciccione, o ucraniano Anatoliy Budyak e o espanhol Marc Soler estava a 2m40,  e  o segundo bloco a 3m40 e muita gente começando a ficar sozinha na estrada.

Após a descida, já rodando em um trecho plano,  um cavalo assustado saltou a cerca do pasto e entrou na estrada provocando  alguma tensão e a desaceleração do grupo.  Passado o susto abriu-se uma guerra de ataques que não teria fim até a chegada aos 10,4km de subida ao Col de Beau Plan (1ª Cat a 6,7%) . O catalão Marc Soler e o colombiano Sebastián Henao aceleram o ritmo, enquanto o camisa amarela perdia rendimento.

Um cavalo resolveu invadir a estrada e correr na frente do pelotão Foto: ©Thibaut Vianney / Agence Zoom

Um cavalo resolveu invadir a estrada e correr na frente do pelotão
Foto: ©Thibaut Vianney / Agence Zoom

Gesbert passa com folga pelo prêmio de Montanha  e atrás o catalão Marc Soler ataca, ficando segundo no prêmio de montanha, com o belga Laurens de Plus em terceiro.  O catalão que corre pela Movistar optou pela prudência na descida que conduzia à chegada, apesar de ser alcançado pelo belga  ainda era o mais forte e na curva final que dava acesso à meta, após uma pequena confusão no desvio para os carros da caravana, conseguiu se destacar para cruzar em segundo a  40 segundos do vencedor da etapa com pequena vantagem sobre o belga.  O brasileiro Caio Godoy completou a prova na 26ª colocação a 6m17s do vencedor, resultado importante dada a dureza da etapa.

O esforço de Soler lhe garantiu a camisa de líder em mais uma etapa difícil com 14 abandonos, entre eles  ciclistas que vestiram o maillot jaune , o suíço tom Bohli e o dinamarquês Soren Kragh Andersen e . A legião estrangeira do Centro Mundial de Ciclismo sofreu um duro golpe, foram quatro os abandonos  Adil Barbari,  Christofer Jurado, o chileno que vestiu a camisa de líder Jose Luis Rodriguez e o brasileiro André Gohr.

Ao final da etapa Elien Gesbert declarou: “Estou muito feliz com esta vitória. Até agora é a maior da minha carreira. E é também a minha mais longa escapada em uma corrida. Ataquei no Col de la Madeleine para tentar ajudar o Guillaume Martin, pensando que os favoritos me perseguiriam. Mas consegui me manter na ponta até o fim.  Mas precisei administrar muito a minha vantagem e me alimentar bem. Eu estava um tanto desapontando com a minha temporada , depois o susto no Tour de l’Ain quando caí numa cerca de arame farpado. Esta vitória me trouxe felicidade e um grande alívio!

Não foi à toa a conquista da camisa amarela por parte de Marc Soler, antes de participar do Tour de l’Avenir  fez uma preparação específica em Andorra e o ataque de hoje mostrou toda sua força na última subida,  tinha energia de sobra. Para a etapa final já tem sua estratégia montada: “Trata-se de aguentar até a base da última montanha, cuidar de que não cair em emboscadas, mas tenho uma equipe que está bem forte.  E na subida final a responsabilidade é minha. Com o minuto de vantagem e se não enfrento problemas, acredito que posso manter a camisa. De Plus mostrou ser o mais forte escalando é a roda dele que temos que vigiar. É uma subida menos dura que a encarada no ano passado, e acredito que possa ir melhor”.

O vencedor da etapa Elie Gesbert, o camisa amarela Marc soler e o líder da montanha Guillaume Martin Foto: ©Thibaut Vianney / Agence Zoom

O vencedor da etapa Elie Gesbert, o camisa amarela Marc soler e o líder da montanha Guillaume Martin     Foto: ©Thibaut Vianney /Agence Zoom

No sábado (29/08) a última etapa do Tour de l’Avenir entre Saint-Michel-de-Maurienne a Les Bottières-Les Sybelles com 93,5 km é mais uma etapa para poucos e que deve causar mais baixas no pelotão o primeiro desafio , com apenas 25 km de estada é o Col du Mollard (1ª Cat. – 17,9 km a 5,7% – 1.638 mt.) , logo depois da metade da corrida enfrentam o Col de la Croix de Fer (1ª Cat – 7 km a 8% – 2066 mt.) e sua longa descida com mais de 20 km. Faltando 20 km está o Lacets de Montvernier (3ª Cat. 3,1 km a 9% – 782 mt.) e para finalizar a chegada no alto em  Montée des Bottiéres (3ª Cat – 9,5km a 7% – 1.249 mt)

Etapa-7-Tour-de-lAvenir

Resultados 6ª Etapa

Bourg-Saint-Maurice>Saint-Michel de Maurienne

126,6  km – 3h34m05 – velocidade media 35,482 km/h

1- Elie Gesbert/França 3h34m05

2- Marc Soler/Espanha a 40s

3- Laurens De Plus/Bélgica a 42 s

4- Jack Haig/Austrália a 1m07s

5- Sindre Lunke/Noruega a 1m07

25 – Caio Godoy/Brasil CMC a 6m17

Classificação Geral após 6 etapas

1- Marc Soler/Espanha – 21h56m33

2-  Laurens De Plus/Bélgica  – a 1m01s

3-  Jack Haig/Austrália –  a 1m21s

4- Sindre Lunke/Noruega – a 1m30

5- Simone Petilli/Italia –  a 1m44s

21- Caio Godoy – a 10m12s

Deixe um comentário