TRE VALLI VARESINE– NIBALI FOI BUSCAR O SEU DIAMANTE

Nibali dá mais uma demonstração de força ao vencer a Tre Valli Varesine, a última corrida do Trittico Lombardo. Com a vitória na Coppa Bernocchi e o segundo lugar na Coppa Agostoni garantiu o prêmio especial destas três clássicas da região da Lombardia: um diamante.

Destacado do pelotão Nibali vence a última prova do Trittico Lombardo. Foto: Bettini

Destacado do pelotão Nibali vence a última prova do Trittico Lombardo  –  Foto: Bettini

O diamante já estava praticamente em suas mãos,  mas nada melhor que uma vitória incontestável para deixar claro que o prêmio era mais que merecido,  assim menos de 24 horas após chegar dos Estados Unidos, aonde disputou o Mundial, e ainda sofrendo com o fuso horário, Nibali acompanhado por seu gregário de luxo Fabio Aru e toda a Astana trabalharam duro para neutralizar uma FDJ sedenta por vitória e um Rebellin que poderia mais uma vez deixar sua marca.

A 95ª edição da Tre Valli Varesine teve seu primeiro grande momento de ação com pouco mais de 30 km de corrida, quanto uma fuga de um grupo de 17 ciclistas conseguiu se destacar, abrindo uma vantagem de quase 60 segundos sobre o pelotão principal.

A fuga foi neutralizada na entrada do circuito na cidade de Varese (praticamente o mesmo do Mundial de 2008 e aonde o pelotão daria 9 voltas). Na segunda passagem pelo Montello (7%) Arnold Jeannesson/FDJ resolve atacar, sendo seguido por Stefano Pirazzi da Bardiani, a dupla chega a abrir quase 3 minutos sobre o pelotão. Atrás o ritmo foi aumentando e foram neutralizados por um grupo aonde estavam Cesare Benedetti/Bora-Argon18, Eduardo Zardini e Alessandro Tonelli/Bardiani, Alessandro Bisolti/Nippo –Fantini e Michele Scartezzini/MgKVis-Vega.

Quando faltavam pouco menos de 2 voltas para a chegada Diego Rosa/Astana e Davide Rebellin procuram forçar o ritmo.Mas recebem o contra-ataque de Thibaut Pinot, que desde a metade da prova vinha se colocando em vários ataques, porém era claro que a Astana com Diego Rosa e Tiralongo estavam buscando o controle da corrida.

Mas foi só na última volta, chegando a subida do Montello que Andrea Fedi/Southeast resolveu testar o pelotão e conseguiu se destacar, mas Fabio Aru e Nibali logo deram as cartas e começaram a assumir o comando da prova. Quando faltavam 3 km para a chegada o ataque derradeiro de Nibali, em um trecho cheio de curvas , Giacomo Nizzolo/Trek Factory tentou acompanhar mas não resistiu ao forte ritmo imposto pelo Squalo di Messina  que fez com tranquilidade o quilometro final já com os braços ao alto.  As demais posições foram definidas no sprint,  aonde o russo Sergey Firsanov/Rusvelo surperou a Giacomo Nizzolo.

A Astana foi para Lombardia com uma formação 100% italiana. foto: Bettini

A Astana foi para Lombardia com uma formação 100% italiana       foto: Bettini

 

Ao final da prova Nibali comentou a vitória: “Os rapazes fizeram um grande trabalho, e o Fabio fez um grande trabalho, sem ele eu não conseguiria a vitória. Estava muito cansado pelo fuso horário. Chegamos ontem (3ª feira 29/09) ao meio dia e apenas rodei leve para soltar as pernas. Em determinado momento pensei em abandonar, porém com os quilômetros de prova as pernas começaram a responder bem. Dedico a vitória aos companheiros de equipe, somos um grupo de verdade” , e neste ponto é bom destacar que está formação de “companheiros” da Astana era uma equipe de 8 ciclistas, todos  italianos.

A Tre Valli  foi útil para entender e para avaliar as condições de alguns  grandes nomes que no domingo disputarão a grande clássica italiana, Il Lombardia ou como também é conhecida: clássica das folhas mortas, isto porque sempre é disputada no outono europeu,época em que as árvores começam a perder suas folhas. Nibali, Pinot e Cunego deram sinais muito positivos.  Mas será importante também entender o que acontecerá em outras duas provas que fazem parte do Trittico de outono que encerram a temporada italiana,  a Milano-Torino e a Gran Piemonte que se disputarão  em 1 e 2 de outubro.

TRE VALLI VARESINE  

Busto Arsizio a Varese 198,5 km (83,3 km + 9 voltas no circuito de 12,8km)

1-  Vincenzo Nibali/Itália  – Astana 4h44m09

2- Sergey Fursanov/Rússia – Rusvelo  a 8 s

3- Giacomo Nizzolo/Itália – Trek Factory – m.t.

4- Simone Ponzi/Itália – Southeast – m.t.

5- Fabio Felline/Itália – Trek Factory – m.t.

6- Kristian Sbaragli/Itália – MTN-Qhubeka – m.t.

7- Kenny Elisonde/França – FDJ – m.t.

8- Damiano Cunego/Itália – Nippo-Vini Fantini – m.t.

9- Antonio Parrinello/Itália – d’Amico Bottecchia – m.t.

10- Francesco Gavazzi/Itália –Southeast – m.t

 

 

Deixe um comentário