UNO: O NOVO CÂMBIO HIDRÁULICO DA ROTOR

Mais um concorrente no páreo, se as opções no mercado eram  Campagnolo, Shimano , Sram  e Microshift (e a FSA que ainda esta em testes) agora surge mais um mais um concorrente de peso e com muita qualidade.  A Rotor, em parceria com a Magura lança seu novo grupo hidráulico: UNO

Novidade 2016 - o grupo UNO da Rotor

Novidade 2016 – o grupo UNO da Rotor

A próxima edição da Eurobike que acontece de 26 a 29 de agosto pode ter como maior novidade o lançamento do câmbio hidráulico da Rotor. Para um seleto grupo de jornalistas não se trata de novidade, um primeiro protótipo foi apresentado, e posto à prova em um rolo de treinamento, na edição passada da feira que acontece na cidade alemã de Friedrichshafen.

A Rotor naquele momento mostrou um cambio e descarrilhador de acionamento hidráulico para bicicletas de estrada. Enquanto as tradicionais Shimano e Campagnolo  oferecem  o eletrônico com funcionamento via cabos, Sram quer chegar com seu wireless, agora uma novidade que pode resultar em um componente com uma manutenção reduzidíssima, de elevada precisão e surpreendentemente leve.

Segundo o diretor de inovação e fundador da Rotor: “Nossa idéia inicial era aperfeiçoar os sistemas de mudanças de marchas existentes; sabíamos que o nosso sistema tem um pequeno passo à frente com a sua maior precisão em comparação com outros sistemas acionados por cabos, mas nosso sistema sofria as mesmas desvantagens desses sistemas, como o atrito, devolvendo força inconsistente ao longo do tempo, e outros inconvenientes .Sabíamos que os freios a disco para a estrada estavam prestes a se tornar uma realidade e nós nos desafiamos para promover o conceito e aplicar o sistema hidráulico para também acionar os câmbios.”

Apesar de que o câmbio hidráulico não seja uma invenção recente ou mesmo uma novidade. Em 2007 foi apresentando um grupo hidráulico para mountain bike  produzido pela alemã 5Rot , depois comprada comprada pela Acros e que utiliza dois conduítes para a circulação do óleo em direções opostas para gerar o movimento do câmbio. O modelo da Rotor apresenta alguma diferença pois colocou os mecanismos e a bombas trabalhando com um divisor diretamente no conduíte, com isso simplificou o modelo.

 

Desenhos apresentados para a patente do UNO

Desenhos apresentados para a patente do UNO

 

Os mecanismos de bombeamento saíram dos comandos no guidão e foram colocados junto ao descarrilhador e câmbio. E o funcionamento de comando da alavancas de mudança de marchas tem semelhança com o adotado pela Sram; o sistema já é pensado para freios à disco ou tradicionais. Fala-se de uma versão mecânica do grupo, que adota o mesmo principio de funcionamento,  e seria a opção econômica da Rotor para as estradeiras.

Para esta novidade os espanhóis da Rotor buscaram um parceiro que entende de sistemas hidráulicos e tem tradição nisso: a alemã Magura.  Aqui o jogo não é para iniciantes ou inexperientes e segundo os jornalistas que pedalaram nos protótipos o câmbio já poderia ter sido colocado no mercado já quando apresentado como protótipo dada a qualidade. Bastava a viabilidade para a sua produção. Parece que o momento chegou após seis anos de desenvolvimento mantido em segredo.

Deixe uma resposta