VUELTA DE MENDOZA TERÁ PARTICIPAÇÃO DE DUAS EQUIPES BRASILEIRAS

Com a participação das equipes brasileiras Memorial-Santos-Fupes e da São Francisco Saúde-Klabin-Ribeirão Preto começa no próximo sábado,  17 de fevereiro,  a mais tradicional das voltas disputadas na vizinha Argentina: a 42ª Vuelta de Mendoza

A dura subida ao Cristo Redentor de los Andes – foto: Ciclismo XXI

O pelotão de 165 ciclistas, divididos em 28 equipes disputará um prologo e oito etapas, totalizando 996 km da 42ª Vuelta de Mendoza.  Segundo a Asociación Ciclista Mendocima, organizadora do evento, do  trata-se de um número recorde de participantes na prova que corta um território também conhecido por “Terra do Sol e do Bom Vinho”.

Entre os desafios estão a dura escalada ao Manzano Histórico (1ª categoria – 1.705 m), a contra-relógio disputada na subida ao Hotel Villavicencio. A  7ª etapa de 92 km , disputada entre Uspallata e o Cristo Redentor reserva aos competidores uma dura escalada com um desnível acumulado no dia de 2.217 metros – passando pelas subidas ao Pichueta (4ª categoria – 2.018m – com 4 km e inclinação média de 2,3%), Horcones (3ª categoria – 2.853m – com 6,2 km a 3,1% de inclinação média), Soberania Nacional (2ª categoria – 3.095 m – com 2,5 km a 7,5% de inclinação e a chegada ao Cristo Redendor (HC a 3811 m).

Entre as equipes estrangeiras estão a estadunidense Silcarbon Racing – sediada em Miami e que aposta na formação de novos valores; os colombianos do Bakano Sub-23 com Duvan Camilo Atapuma, sobrinho do escalador da UAE Emirates, Darwin Atapuma; os paraguaios da Vivo Team Grupo Oresy; os equatorianos do Tims-Eagle Bike  com o experiente Segundo Navarrete. Das locais, destaca-se a equipe continental SEP San Juan com o bi-campeão Juan Pablo Dotti.

Vuelta a Mendoza  – foto: LosAndes/Mas Deportes

Em 1988 o mineiro Cássio de Paiva Freitas, correndo pela lendária equipe da Pirelli destacou-se naquela região ao vencer o Cruce de Los Andes , dez anos depois em 1998 conquistou  a Vuelta de Mendoza.

A equipe de Ribeirão Preto entra na disputa com a seguinte formação, dirigida pelo técnico Marcelo Donabella: Rafael Andriato, Alan Maniezzo, Maurício Knapp, Atílio Fetter, Lucas Ribeiro Motta e Jeovane de Oliveira que em 2007 foi o vencedor da 9ª etapa

Já a equipe  Santista, dirigida por Cláudio Diégues,  terá a sua disposição o colombiano  Óscar Eduardo Tovar Rivera para as etapas de montanha; Diego Ares e Joel Prado são a  aposta para as etapas planas, a equipe ainda conta com Victor Ranghetti e Gabriel Graça e como grande novidade a equipe contará com a participação do triatleta de Thomas Galindez, o nome já diz tudo: o garoto é filho de Oscar Galindez que por muitos anos esteve radicado em Santos e criou fortes laços com o esporte da cidade.  Thommy Galindez se juntará a equipe na Argentina, pois o jovem fez sua preparação pedalando nas serras da Província de Córdoba.

As etapas

17/02 Prólogo – Parque Gral. San Martín – 5,5 km

18/02 Etapa 1: Luján-Manzano Histórico – 152 km

19/02 Etapa 2: San Rafael – Gral.Alvear – San Rafael – 196 km

20/02 Etapa 3: San Carlos – La Consulta – 149.3 km

21/02 Etapa 4: San Martín – Junín – La Paz- 158 km

22/02 Etapa 5 (CRI): Monumento de Canota – Villavicencio – 16.6 km

23/02 Etapa 6: Godoy Cruz – Guaymallén – Maipú – Godoy Cruz – 120.6 km

24/02 Etapa 7: Uspallata – Cristo Redentor- 92 km

25/02 Etapa 8: Las Heras (Parque de la Familia) – 106 km

Deixe um comentário